Artigos

RITOS DE PASSAGEM

Livros/Lançamentos

autorGilberto Schoereder
publicado porGilberto Schoereder
data04/11/2019
fonte
O segundo livro da trilogia Xenogênese, de Octavia E. Butler, continua a história da relação entre a humanidade e alienígenas.

O segundo volume da série Xenogênese, da excelente escritora Octavia E. Butler, apresenta humanos e os alienígenas oankali vivendo na Terra, tentando dar continuidade às suas vidas em um ambiente já bastante modificado, não apenas pela guerra que arrasou o planeta, mas pelas experiências genéticas dos oankali.
Aqui, o personagem central é Akin, o jovem filho de Lilith Iyapo, um constructo, um novo ser com muito de humano e de oankali, que deverá passar por uma fase de transformação quando seu corpo mudará de forma, aproximando-se mais ou menos da forma alienígena.
As transformações biológicas em Akin fazem com que, apenas com alguns meses de vida, ele já seja capaz de falar e processar conceitos complexos, o que faz parte dos planos dos oankali para a nova humanidade-oankali que estão construindo.
Na Terra, no entanto, alguns humanos resistem à ideia de unir-se aos aliens e formam aldeias isoladas, rebeldes, às vezes atacando as aldeias em que humanos e oankali convivem para roubar crianças ou mulheres. Os extraterrestres modificaram os humanos de tal forma que eles sejam incapazes de procriar, o que causa revolta em muitas pessoas. Os oankali entendem que se os humanos procriarem e aumentarem em número eles inevitavelmente irão seguir todo o processo de violência que os levou a destruir o planeta e grande parte da humanidade. Para os aliens, isso é inevitável e está no DNA humano.
No entanto, Akin deverá ser a pessoa que pode encontrar uma solução intermediária, dando aos rebeldes uma possibilidade de recomeçar, ainda que não seja exatamente da forma que eles desejavam.
As discussões sobre sexo, sexualidade, raça e gênero surgem ainda mais claras nesse segundo volume, e geralmente com uma visão nada agradável da humanidade, ainda que se possa discutir a ação dos oankali que, no fim das contas, podem estar errados em vários aspectos; as decisões que tomam, mesmo quando dizem ser a favor da humanidade, sempre os favorecem e ao seu projeto – ao que parece, interminável – de unir geneticamente tantos seres quantos forem encontrados em seu périplo pelo universo. Se por um lado eles são incapazes de atacar e destruir toda uma raça, por outro também são inflexíveis em seus propósitos.
Ritos de Passagem é o que se chama de bildungsroman, um romance de formação, seguindo as etapas do crescimento de Akin. Ele não apenas adquire conhecimentos técnicos e científicos que lhe permitem ter uma visão melhor da humanidade, do planeta e dos oankali, mas também cresce do ponto de vista moral e ético, sempre em direção à decisão que deverá tomar, ainda antes de passar pelo processo de transformação corpórea, e que pode mudar a vida do que resta da humanidade.
É mais um excelente livro de Octavia E. Butler. O terceiro volume da série é Imago.


RITOS DE PASSAGEM – XENOGÊNESE VOLUME 2 (Adulthood Rites, 1988)
Octavia E. Butler
368 páginas
Morro Branco Editora