Artigos

OVNIS E ABDUÇÕES

FILMES/VE ALIENÍGENAS NA TERRA

autorGilberto Schoereder
publicado porGilberto Schoereder
data15/6/2018
fonte
O tema das abduções de humanos por seres extraterrestres tornou-se constante, tanto na Ufologia quanto no cinema e na televisão. E as histórias geralmente não são nada agradáveis.

(Ten Thirteen Productions/ 20th Century Fox Television/ X-F Prod

Na época em que Steven Spielberg acreditava que os extraterrestres eram bonzinhos, ele fez com que eles devolvessem, sãos e salvos, humanos que tinham sido abduzidos ao longo dos anos, no clássico Contatos Imediatos de Terceiro Grau (Close Encounters of the Third Kind, 1977). Numa das inúmeras cenas marcantes do filme, a gigantesca nave-mãe dos aliens escancara as comportas e despeja humanos abobalhados que não entendem o que está acontecendo, alguns com a mesma aparência que tinham quando foram levados, 10, 20 ou mais anos antes. Claro que devemos considerar que se eles levaram as pessoas na marra, talvez não fossem tão bonzinhos assim.
Na vida real, os relatos de pessoas que alegam terem sido abduzidas não são tão agradáveis, e as consequências geralmente são trágicas para os que são levados.
Essas supostas abduções de seres humanos por seres alienígenas têm estado no centro de algumas das maiores polêmicas ufológicas dos últimos tempos. E, como não poderia deixar de ser, resultaram em inúmeros livros, filmes e alguns seriados de televisão.

A cena de abdução de Samantha, irmã de Mulder (Ten Thirteen Productions/ 20th Century Fox Television/ X-F Productions).

Na série Arquivo X (comentada na matéria Paranoias e Conspirações) uma abdução é o que impulsiona toda a vida e as atividades do personagem central, Fox Mulder (David Duchovny). Ele tem a lembrança de, quando era adolescente, ver sua irmã ser levada de sua casa, supostamente por extraterrestres. A busca por uma resposta, e sempre acreditando na sobrevivência da irmã, faz com que se torne um especialista no assunto; na verdade, essa procura se torna uma obsessão e chega a prejudicar seu julgamento com relação a outras questões.
A personagem Dana Scully (Gillian Anderson), sua colega de investigações no FBI, também passa por uma situação de abdução que modifica sua vida radicalmente.
A série segue de perto os relatos de milhares de pessoas que alegam terem sido abduzidas por extraterrestres e que tiveram suas vidas alteradas para sempre, às vezes de forma radical e perigosa para suas saúdes. Os abduzidos falam a respeito de implantes que teriam sido colocados em seus corpos, de visitas constantes que os aliens fazem a eles, levando-os para naves espaciais e tratando-os de forma violenta, realizando experiências que vão desde pegar amostras de sangue até procedimentos cirúrgicos dolorosos, e até mesmo alterações genéticas. Algumas mulheres já alegaram terem sido engravidadas por meio de procedimentos médico-cirúrgicos quando levadas a uma nave.

 

Provavelmente, a primeira produção que seguiu mais de perto os relatos e pesquisas ufológicos tenha sido o filme para televisão Eles Estão Chegando (The UFO Incident, 1975), dirigido por Richard A. Colla, um nome conhecido no meio da ficção científica – ele dirigiu um episódio de Jornada nas Estrelas: A Nova Geração e alguns do original Battlestar Galactica (1978).

                                                                                                                                                                           (Universal Television).

O que mais chama a atenção na produção é que ela foi baseada num dos primeiros – senão o primeiro – relatos de abdução ufológica oficialmente registrado nos Estados Unidos, envolvendo o casal Betty e Barney Hill. O filme foi feito a partir do livro que eles escreveram, The Interrupted Journey, com as personagens centrais interpretadas por James Earl Jones e Estele Parsons.
A história é uma espécie de roteiro básico para a maioria dos relatos de abdução alienígena registrados nas pesquisas ufológicas. Em setembro de 1961, os dois estavam seguindo por uma estrada quando viram o que acreditaram ser uma nave espacial, um OVNI, que desceu na estrada à frente do carro. Barney relatou ter visto alguns seres olhando para ele das janelas da nave e, tendo a sensação de que algo de ruim iria acontecer, voltou a entrar no carro, enquanto a nave se colocava acima do veículo. Após uma série de sons como zunidos que faziam o carro vibrar, eles entraram numa espécie de estado alterado de consciência. Quando voltaram a si, perceberam que tinham rodado mais de 50 quilômetros e não sabiam como isso tinha acontecido.

Eles chegavam a se lembrar do encontro com o OVNI, tanto que Barney ligou para a Base Pease da Força Aérea para relatar o evento. Mais tarde, foram entrevistados por um membro do NICAP (National Investigations Committee On Aerial Phenomena); Barney dizia ter a sensação de estar com algum tipo de bloqueio mental e já pensava em recorrer à hipnose para ver se conseguia recuperar a memória correta do que tinha ocorrido.
Alguns detalhes da abdução começaram a surgir em sonhos de Betty e mais tarde ela passou a escrever sobre eles. Nos sonhos, ela via os dois serem levados para a nave e também serem examinados.
As sessões de hipnose começaram apenas em janeiro de 1964, e assim eles conseguiram narrar com detalhes o encontro e os exames pelos quais passaram no OVNI.

 

Uma das produções mais recentes do cinema abordando o tema das abduções alienígenas foi o interessante Contatos de 4º Grau (The Fourth Kind, 2009), com Milla Jovovich. O filme provocou imensa polêmica e algumas críticas severas, mas é bem interessante. Ele foi apresentado como sendo baseado em fatos – o que não é absolutamente verdade. Para dar sustentação a essa alegação, são apresentadas cenas de Jovovich representando a psicóloga Abbey Tyler, e outras com a suposta verdadeira psicóloga Tyler, que na realidade é outra atriz.
Seja como for, o suspense é efetivo e é possível se ter uma boa ideia do que ocorre nas sessões de terapia e hipnose com pessoas supostamente vítimas de abduções.
 

Em 1987, Whitley Strieber publicou seu livro Comunhão (Communion, Editora Record) no qual relatava um contato que manteve com alienígenas. O livro fez sucesso e foi adaptado para o cinema, no Brasil com o título Estranhos Visitantes (Communion, 1989), no qual Christopher Walken interpreta o próprio Strieber.
O autor diz que foi abduzido, e não foi uma boa experiência. Como em tantos outros casos, ele só teria se lembrado de todos os detalhes depois que foi procurar um psicanalista, sem saber se o evento tinha realmente acontecido ou se estava ficando louco. Quando começou a fazer regressão hipnótica, tudo começou a voltar à sua memória.

                                    Christopher Walken abduzido (Allied Vision/ Pheasantry Films/ The Picture Property Company).

Ao contrário da maioria dos filmes com extraterrestres da época, este tinha a intenção de aterrorizar, e até que consegue. Strieber considerava a entidade que via como uma fêmea, que ele associou à deusa Ishtar, da Suméria.



O livro Intrusos (Intruders: The Incredible Visitations at Copley Woods, 1987. Editora Record), de Budd Hopkins, também foi para a telas, mas como minissérie. Hopkins, falecido em 2011, era uma das personalidades mais conhecidas do cenário ufológico, fundador da organização Intruders Foundation, criada para documentar e pesquisar abduções alienígenas e fornecer todo tipo de suporte para pessoas que passaram pela experiência.

                                    (Dan Curtis Productions/ CBS Entertainment Production/ Osiris Films).

Intruders (Intruders, 1992. Também apresentado com o infeliz título Intruders, A Geração Alien), foi dirigido por Dan Curtis, conhecido por dezenas de produções de terror para a TV e cinema. Tem como ponto de partida a atuação de um psiquiatra de um hospital de Los Angeles que, ao estudar os problemas de duas pacientes, entra em contato com uma série de ocorrências envolvendo abduções alienígenas. Também aborda a questão da atuação de agências do governo americano nos casos de aterragens e avistamentos de OVNIs.
O filme não é ruim, ainda que o tema já tenha sido bastante explorado anteriormente. Os efeitos são bons e os aliens são uma reprodução exata do que foi relatado pelas testemunhas. O mais interessante, no entanto, parece ser o processo de “conversão” do psiquiatra cético que, diante de todas as evidências, abre mão de sua fama e de uma carreira brilhante para seguir a pista dos aliens e das vítimas das abduções.
 

(Paramount Pictures).

Em 1993 foi a vez do interessante filme Fogo no Céu (Fire in the Sky), baseado no livro de Travis Walton Fogo no Céu (The Walton Experience, 1978. Biblioteca UFO), dirigido por Robert Lieberman. Narra um dos mais famosos casos de abdução dos EUA. Em novembro de 1975, o lenhador do Arizona Travis Walton foi abduzido quando trabalhava numa floresta. O mais curioso dessa abdução é que se trata de uma das raríssimas oportunidades em que o evento foi testemunhado, no caso, por vários amigos de Walton. Após ser levado por uma nave alienígena, ele esteve desaparecido por vários dias, o que deu origem a uma intensa procura policial na região. Os amigos envolvidos chegaram a ser acusados de assassinato, mas testes com polígrafo confirmaram suas histórias. E, claro, quando Walton voltou a aparecer, a acusação perdeu o sentido.
O relato inclui o que lhe aconteceu quando esteve na nave extraterrestre, com alienígenas não tão amistosos quanto se imagina, conservando-o numa cápsula como uma espécie de morto-vivo.
O filme tem interpretações convincentes e bons efeitos especiais nas sequências de abdução e no interior da nave alienígena.
 

Veja a seguir mais histórias com OVNIs e abduções


OS ESQUECIDOS (The Forgotten, 2004)
Direção de Joseph Ruben.

(Revolution Studios/ Jinks-Cohen Company/ Visual Arts Entertainment/ Sony Pictures H.E.).

No Brasil, o filme foi apresentado como um suspense e “o filme mais surpreendente desde O Sexto Sentido”. Está longe disso, apesar de um início muito interessante.
Julianne Moore interpreta uma mulher obcecada pela morte do filho, 14 meses antes, num acidente de avião. Ela não consegue esquecê-lo, não importa o que façam o marido e o psicanalista que ela teve de procurar. O que os dois acabam por dizer-lhe é que nunca existiu um filho, que ela o perdeu num aborto e, assim, criou uma ilusão de que a criança chegou a nascer.
Ela não aceita a informação e o médico recomenda que ela seja enviada a um hospital psiquiátrico, mas ela foge, encontrando-se com um homem (Dominic West) que, segundo ela, tinha uma filha, amiga de seu filho, que também morreu no mesmo acidente de avião. Os dois começam a ser perseguidos por agentes federais e, ao procurarem mais informações sobre o acidente, ficam sabendo que tudo se trata de uma ação de extraterrestres, abduzindo pessoas para fazer uma experiência com os que ficam por aqui, tentando apagar de suas mentes as memórias referentes aos abduzidos.
O filme vai muito bem até a metade, e depois descamba para uma confusão total com um final banal e sem inspiração.

 

OS ESCOLHIDOS (Dark Skies, 2013)
Direção de Scott Stewart.

     (Alliance Films/ Automatik Entertainment/ Blumhouse Productions/ Cinema Vehicle Services).

O diretor já circulou pelo gênero com os filmes Legião (Legion, 2010), Padre (Priest, 2011) e o episódio piloto da série Defiance (Defiance, 2013). Os produtores são os mesmos de Atividade Paranormal (Paranormal Activity, 2007), e aqui retornam ao “terror dentro de casa” que os consagrou, mas com um viés diferente.
Uma família começa a ser assolada em sua casa por eventos inicialmente estranhos e, depois, aterrorizantes e ameaçadores, sem conseguir definir o que está acontecendo.
Só conseguem obter algumas respostas ao conversarem com um ufólogo que, pelo relato do casal, percebe que eles são alvo da ação dos alienígenas conhecidos como greys, aqueles que costumam abduzir humanos para realizar suas experiências. O especialista adverte o casal de que eles estão atrás de um de seus filhos, mas as coisas se complicam cada vez mais. Para surpresa deles, não era atrás do filho mais jovem que eles estavam, mas do mais velho, que é abduzido.
Existem inúmeros filmes que tratam do tema abdução alienígena e este não apresenta qualquer novidade, seja na forma como apresenta a história, seja como a desenvolve. No entanto, não é um filme ruim. Mas também não é bom.

 

UM ESTRANHO SER (The Stranger Within, 1974)
Direção de Lee Philips.

(Lorimar Productions).

Filme produzido para a TV, com Barbara Eden no papel principal – a Jeannie do seriado da TV. Apesar de ser um filme despretensioso, foi muito favorecido por ter história e roteiro de Richard Matheson, um dos grandes escritores e roteiristas no gênero fantástico.
Ela tem uma gravidez inexplicável, uma vez que seu marido fez uma vasectomia, mas tudo indica que ela não foi infiel a ele. Ela é pintora, e começa a pintar quadros com paisagens de outro planeta, com muitos detalhes realistas, além de sentir alterações inexplicáveis em seus sentidos.
A verdade só surge quando ela é hipnotizada e fica-se sabendo que ela foi engravidada por um alienígena.
No momento de dar à luz, ela sai de sua casa e tem seu filho na floresta próxima, e dirige-se com a criança à nave que deverá levá-la ao planeta dos aliens, juntamente com outras mulheres que se juntam numa procissão, carregando seus filhos.

 

ESPIÕES DO ESPAÇO (Occhi Dalle Stelle, 1978)
Direção de Roy Garrett (Mario Gariazzo).

(Midia Cinematografica).

Produção italiana horrorosa (também com o título Eyes Behind the Stars) apresentando repórter e especialista em OVNis que investigam rumores sobre naves extraterrestres que teriam pousado na Terra. Chegou a ser lançado em VHS no Brasil.

 


 

O RETORNO (The Return, 1982)
Direção de Greydon Clark.
Feito para TV. Duas crianças testemunham a aparição de um OVNI numa pequena cidade do interior dos EUA. Anos mais tarde voltam a se encontrar no mesmo local, enquanto um estranho está matando o gado e pessoas utilizando-se de um objeto deixado pelo aparelho alienígena em sua primeira aparição. Ao final, os dois dão uma voltinha na nave que retorna, e ninguém fica sabendo o que os aliens pretendiam afinal. O diretor simplesmente não soube o que fazer do filme, no mais, horroroso. No Brasil, foi lançado em VHS.

 

 

A INCRÍVEL VISITA DO EXTRATERRESTRE (The Aurora Encounter, 1986)
Direção de Jim McCullough Sr.

(Jim McCullough Productions).

Em 1897, em Aurora, Texas, surge um extraterrestre com sua nave, chamando a atenção de todos. Ele deseja investigar a Terra e uma jornalista se interessa pela história. Ela consegue atrair o alien até a cidade usando como isca um cristal que ele deixou no local de pouso. Ele acaba sendo morto por um texano mais exaltado, mas posteriormente se transforma em energia e dirige-se ao espaço. Poucos momentos interessantes e muitos momentos nada interessantes. A história foi baseada em evento ocorrido na cidade de Aurora, naquele ano, e registrada nos jornais locais, posteriormente sendo analisado por ufólogos e comparado à queda de um OVNI em Roswell. No Brasil, lançado em vídeo.

 

O BEBÊ ALIEN (Alien Seed, 1989)
Direção de Bob James (Robert Hyatt).

(Action International Pictures).

Também conhecido pelo título Um Alienígena Entre Nós. Pequena produção com o ex-patrulheiro chato da série C.H.I.P.S., Erik Estrada. Trata-se da história de uma mulher que passa a ser perseguida por agentes do governo após ter sido levada a bordo de uma nave alienígena e engravidado, enquanto Estrada é o único a ajudá-la. Ô filme chato! No Brasil, lançado em VHS.

 

 

O CÉU SOB SUSPEITA (Fatal Sky, 1990)
Direção de Frank Shields.

(The Australian Film Commission/ ITC).

Também conhecido pelo título Project: Alien. Outra porcaria sobre um piloto de avião que informa o avistamento de OVNIs e, em seguida, desaparece com o avião. Ao mesmo tempo, na Escandinávia, uma praga se espalha pelo gado. Dois jornalistas investigam os casos, estabelecendo uma relação entre os acontecimentos. No Brasil, lançado em VHS.

 

 

FURACÃO AZUL (Blue Tornado, 1990)
Direção de Tony B. Dobb (Antonio Bido).

(Clemi Cinematografica/ Titanus).

Produção italiana vagabunda. Dois pilotos da NATO têm um contato com OVNIs, e um deles desaparece, sendo dado como morto. O outro inicia seus estudos para compreender o que aconteceu e consegue convencer seus superiores a pesquisar o local onde os fenômenos ocorreram. Na montanha, o piloto vê muitas naves e acaba encontrando o amigo piloto. Muitos aviões taxiando, voando, fazendo manobras, e pouca história.

 

 

 

OS INVASORES (Invader, 1992)
Direção de Philip J. Cook.
Outra produção sem atrativos e repleta de cenas já vistas muitas vezes no gênero, sobre repórter de um jornaleco sensacionalista que se envolve numa história real sobre alienígenas que estão controlando uma base dos EUA. O filme tenta faturar em cima das histórias a respeito da queda de um OVNI em Roswell, no Novo México, em 1947.

 

VISITANTES DA NOITE (Visitors of the Night, 1995)
Direção de Jorge Montesi.

(Ann Daniel Films/ Pebblehut Productions).

Feito para TV. Reconstrói uma história de abdução que teve início na infância de uma mulher que, adulta, enfrenta problemas com pesadelos noturnos e com a filha que está seguindo pelo mesmo caminho. Apesar de não ser tão bem realizado quanto o semelhante Intruders, apresenta razoavelmente bem o tema. Mas a parte final é muito mal elaborada.

 

 

ÓRBITA LETAL (Lethal Orbit, 1996)
Direção de Mario Van Cleef (Ulli Lommel).

(US Multimedia).

Caso alguém consiga asistir a cinco minutos desse filme sem ter um acesso de raiva e quebrar tudo à sua volta, ele pode ser um remédio excelente contra insônia. Parece que os produtores compraram algumas sobras de filmes da NASA e resolveram escrever um roteiro, com o perdão da palavra, em torno das imagens. Astronautas estão no espaço realizando uma missão qualquer, quando surge uma imensa nave extraterrestre que quase causa um acidente. O restante do filme se passa quase todo num tribunal onde o ocorrido é examinado. Péssimas atuações (Casper Van Dien está no elenco), diálogos ridículos, quando não sem sentido. Lixão brabo.
 

 

ALVO: TERRA (Target Earth, 1998)
Direção de Peter Markle.
Mais um entre inúmeros filmes produzidos na época, aproveitando o tema popular das abduções alienígenas para apresentar uma de invasão ao planeta. Os abduzidos recebem implantes que fazem parte de um plano bem elaborado de invasão.

 

AGENTES DA SOMBRA (The Shadow Men, 1997)
Direção de Timothy Bond.

(Bruin Grip Services/ Encounter Productions).

No mesmo ano do mais famoso Homens de Preto, surge esse que também fala sobre o mesmo assunto, mas sem humor. Casal e filho têm um encontro imediato numa estrada, são abduzidos e devolvidos sem se lembrarem do que aconteceu, mas começam a ter pesadelos e resolvem pedir ajuda à Força Aérea. A partir daí, recebem a visita dos homens de preto e passam a ser perseguidos.

 

 

 

FORÇA INVASORA (The Sender, 1998)
Direção de Richard Pepin.

(PM Entertainment Group).
 

Outra podreira com história que começa em 1965, com o desaparecimento de um piloto após um encontro com nave alienígena, e continua 30 anos depois, quando os restos do avião são encontrados. Ainda envolve a presença de alienígenas, mutações genéticas e militares maus. Um filme pavoroso, lançado em vídeo no Brasil.

 

PROGENY, O INTRUSO (Progeny, 1988)
Direção de Brian Yuzna.

(Progeny Films Inc.).

Também conhecido pelo título Ameaça Alienígena. Uma história manjada sobre casal que é abduzido por seres extraterrestres e, após sessão de hipnose, começa a se lembrar do ocorrido. No Brasil, lançado em vídeo.

 

 

 

ROSWELL – ATAQUE ALIENÍGENA (Roswell: The Aliens Attack, 1999)
Direção de Brad Turner.

(Credo Entertainment Group/ Future Films).


Feito para TV. Segue na cola da onda de especulações a respeito da suposta queda de uma nave alienígena em Roswell, em 1947. Os aliens em questão não querem nada de bom para nós. Fraco. No Brasil, em vídeo.

 

 

ATERRORIZADOS (Altered, 2006)
Direção de Eduardo Sánchez.

(Rogue Pictures/ Haxan Films/ Imagem Filmes).

Cinco jovens têm um encontro com alienígenas, sendo abduzidos e submetidos a experiências que resultam na morte de um deles. Quinze anos depois, eles retornam ao mesmo local procurando vingança e, para isso, capturam um alienígena. Mas as coisas não serão tão simples para eles. Do mesmo diretor de A Bruxa de Blair.

 

 

ESTRANHAS CRIATURAS (Alien Abduction: Incident in Lake County, 1998)
Direção de Dean Alioto.

(Dick Clark Productions).

Filme apresentado na forma de pseudodocumentário, centrado em uma família que estava fazendo um jantar de Dia de Ação de Graças, em Lake County, no estado de Minnesota, sendo filmada pelo jovem Tommy, quando foram atacados e abduzidos por extraterrestres.
O filme causou alguma controvérsia, com muitos espectadores achando que se tratava de um documentário real, uma vez que o filme feito pelo jovem foi apresentado como um documento verdadeiro do que ocorreu, com a filmagem sendo interrompida para apresentar entrevistas com especialistas em ufologia falando sobre o assunto.
O tipo de filmagem subjetiva e a chamada “found footage” – um filme encontrado por algum personagem do filme e apresentado como real – ainda não estava tão popular e reconhecível como ficaria no ano seguinte, com o sucesso de A Bruxa de Blair (The Blair Witch Project).
Além disso, os pesquisadores de UFOs, incluindo o famoso Stanton Friedman, não foram devidamente informados sobre o que seria feito com o material que eles estavam gravando.

 

O SINAL: FREQUÊNCIA DO MEDO (The Signal, 2014)
Direção de William Eubank.

(Automatik Entertainment/ Low Spark Films/ Signal Film Group).

Um filme apenas razoável sobre três amigos do MIT que fazem uma viagem de carro para a Califórnia, mas no meio do caminho resolvem investigar um hacker que chama a si mesmo de Nomad e que causou alguns problemas a eles. Conseguem localizar o sinal até uma casa abandonada em Nevada e vão atrás dele.
No local, não encontram nada, mas uma luz branca intensa faz com que eles percam a consciência. A partir daí o filme segue um rumo inesperado até seu final. Nic (Brenton Thwaites) acorda com um número tatuado em seu braço, sem saber do paradeiro dos amigos Haley (Olivia Cooke) e Jonah (Beau Knapp). Está em algum lugar misterioso onde conversa com o Dr. Damon (Laurence Fishburne), que lhe diz que eles tiveram um encontro com um EBE (Extraterrestrial Biological Entity), ou seja, um alien.
Posteriormente, os três ainda vão ter vários momentos difíceis, vendo que tiveram implantes alienígenas em seus corpos, conseguem fugir e ser recapturados, apenas para descobrir ao final que estavam em uma nave alienígena, e prestes a chegar ao planeta dos extraterrestres.

 

EXTRATERRESTRIAL (2014)
Direção de Colin Minihan.

(Abduction Films/ Manis Film/ Vicarious Entertainment).

Filme pobrezinho apresentando extraterrestres que abduzem pessoas com o aval do governo dos EUA. O enredo envolve alguns amigos que têm encontros com aliens e acabam atirando num deles, dando início a uma batalha com os alienígenas.

 

 

 

ABDUÇÃO (Alien Abduction, 2014)
Direção de Matty Beckerman.

(Exclusive Media/ Big Picture/ Next Entertainment).

Outro filme fraquinho na linha do “found footage” sobre uma família que vai acampar na Carolina do Norte e tem um encontro com alienígenas, sendo abduzidos.


 

 

 

ÁREA Q (2011)
Direção de Gerson Sanginitto.

                                                                                                                                                (Reef Pictures/ Sophia Filmes/ California Filmes).

A produção conjunta Brasil-Estados Unidos era para ser um filme marcante na FC brasileira, mas ficou longe disso. Isaiah Washington interpreta um repórter amargurado com o desaparecimento de seu filho que vem ao Brasil, para o Ceará, investigar a região chamada Área Q, nas proximidades de Quixadá e Quixeramobim, onde se diz terem ocorrido muitos avistamentos de OVNIs, assim como contatos de terceiro grau.
No local, ele encontra uma pessoa que lhe diz ter muitas respostas sobre o que acontece a região, inclusive sobre seu filho desaparecido. Poderia ter sido interessante, mas nada funciona muito bem no filme.

 

PROJETO LIVRO AZUL (Project: U.F.O., 1978/1979)
Criação de Harold Jack Bloom.

(Mark VII Ltd./ Worldvision).

Um seriado não muito conhecido no Brasil. Até onde sei, nunca teve reapresentações. Apresenta dois oficiais da Força Aérea dos EUA, investigadores do famoso e, posteriormente, mal visto Projeto Livro Azul, que investigava casos de avistamentos de OVNIs nos EUA. Os dois oficiais vão recolhendo os relatos das testemunhas, enquanto as narrações delas são encenadas.
Apesar dos bons efeitos especiais, os capítulos tornavam-se cansativos pela repetição excessiva dos mesmos trechos e visuais e pelos finais sem qualquer definição, mas geralmente dando a entender que nada daquilo tinha de fato acontecido, como foi na verdade a conclusão do Projeto Livro Azul na vida real, posteriormente sendo desmentida por participantes do projeto.

 

O VISITANTE (The Visitor, 1997/1998)
Criação de Roland Emmerich e Dean Devlin.

(20th Century Fox Television/ Centropolis Television).

Os criadores de Independence Day e da primeira adaptação de Godzilla tentaram atingir o mesmo sucesso na TV e, por alguma razão, não conseguiram, Diz-se que o seriado foi retirado do ar nos EUA com apenas um piloto e dois episódios apresentados, por falta de bons índices de audiência, numa produção caríssima que atingiu dois milhões de dólares por episódio, o que é incompreensível uma vez que não existem tantos efeitos especiais ou atores famosos. No entanto, tudo indica que os 13 episódios produzidos foram exibidos.
Em 1947, um piloto americano (John Corbett) é abduzido por extraterrestres ao sobrevoar o Triângulo das Bermudas. Em 1997, ele retorna a bordo de um OVNI, derrubado pela Força Aérea. Ele continua incólume, com a aparência que tinha 50 anos antes, e com poderes fora do comum, capaz de fazê-lo reviver e realizar outras proezas. Caminha pelo país a procura de alguma coisa, cumprindo uma missão que deverá salvar a humanidade, enquanto o coronel malvado (Steve Railsback) persegue-o, além de uma equipe do governo, com propósitos mais amenos do que os dos militares. Pelo que se viu no Brasil, parecia ser um seriado acima da média, ainda que com muitas semelhanças com a história de Starman e de O Fugitivo.

 

ROSWELL (Roswell, 1999/2002)
Criação de Jasom Katims.

(Jason Katims Productions/ Regency Television/ 20th Century Fox Television).

O seriado procurou misturar os temas das séries de FC com os seriados para adolescentes. O ponto de partida é que na pequena cidade de Roswell, o local onde ocorreu o mais famoso incidente com OVNIs da história, em 1947, os alienígenas que ali caíram com sua nave deixaram algumas crianças com aparência humana, que foram criadas por famílias terrestres. Elas têm alguns poderes e envolvem-se numa série de situações que, às vezes, têm a ver com sua herança extraterrestre, e outras vezes com os problemas normais dos adolescentes da televisão americana. Nada que chame a atenção.
 

 

AS LUZES DE PHOENIX

Chelsea Lopez, em Luzes de Phoenix (Cinelou Films/ Scott Free Productions).

Em 1997, um evento de avistamento massivo de OVNIs foi registrado na cidade de Phoenix, no Arizona, EUA, e em Sonora, no México, sendo conhecido como “The Phoenix Lights”. Diversas testemunhas afirmaram terem visto os objetos, incluindo um OVNI em formato de “V”. O evento deu origem a pelo menos três filmes.
O Segredo do Céu (Night Skies, 2007) foi dirigido por Roy Knyrim, com eventos supostamente reais obtidos a partir de relatos de testemunhas sob hipnose. Fala sobre algumas pessoas que não apenas viram as “luzes”, mas tiveram encontros violentos com os aliens.
The Phoenix Incident (2015) foi dirigido por Keith Arem e segue na linha das produções chamadas de “found footage”, ou seja, com a história desenvolvida a partir de um filme encontrado e apresentado como parte da ação, o que supostamente pode dar mais credibilidade aos eventos relatados.
Luzes de Phoenix (Phoenix Forgotten, 2017) foi dirigido por Justin Barber e teve produção de Ridley Scott. Segue na mesma linha do “found footage”, apresentando uma jovem que resolve rever os filmes de seu irmão, desaparecido após os eventos de 1997, que ele registrou com sua câmera e que resolveu investigar com alguns amigos.