Artigos

AS SEREIAS DE TITÃ

Livros/Lançamentos

autorGilberto Schoereder
publicado porGilberto Schoereder
data18/1/2019
fonte
A Aleph Editora lança um dos mais importantes livros da ficção científica humorística.

Em seu livro Science Fiction: The 100 Best Novels, o crítico David Pringle diz que foi em As Sereias de Titã (The Sirens of Titan, 1959) que Kurt Vonnegut encontrou sua voz. Em 1952, ele já havia publicado o romance Revolução no Futuro (Player Piano), mas foi com As Sereias que ele de fato encontrou o caminho que nortearia sua produção literária, sempre com muito humor, cáustico, crítico, utilizando frases curtas e incisivas, às vezes repetitivas, e passeando pela ficção científica com os temas mais absurdos que se possa imaginar.
O livro chegou a ser um dos finalistas do Prêmio Hugo de 1960, um dos mais importantes do gênero; e, como prova de que a premiação às vezes segue por caminhos tortuosos, o vencedor naquele ano foi o pavoroso Tropas Estelares (Starship Troopers), de Robert A. Heinlein.
O livro de Vonnegut, assim como outras obras do autor, tiveram enorme impacto na literatura, no humor e, é claro, na ficção científica. Quase foi para o cinema, com os direitos sendo comprados por ninguém menos do que Jerry Garcia, o lendário líder da banda The Grateful Dead. Não aconteceu, e as últimas notícias dão conta de que uma adaptação para a TV está em andamento.
O relançamento da Aleph é mais do que oportuno, uma vez que o livro não era republicado no Brasil desde sua primeira aparição pela GRD, em 1966.

Seja como for, este é o livro em que Vonnegut imaginou a inacreditável infundíbula cronossinclástica, uma alteração no espaço e no tempo, situada entre a Terra e Marte, e um perigo para os astronautas. O milionário Winston Niles Rumfoord é capturado pela infundíbula quando viajava em sua espaçonave privada com seu cão Kazak. Assim, eles passam a existir numa espiral que se estende do Sol a Betelgeuse, e Rumfoord passa a ter conhecimento do passado presente e futuro, de certa forma vivendo em todos os tempos e lugares concomitantemente. Ele e o cão se materializam de tempos em tempos em diferentes locais.
Rumfoord passa a influenciar a história da Terra, em especial a do igualmente milionário Malachi Constant, o homem mais rico dos EUA, com uma sorte inacreditável, que ele atribui a Deus. Como Rumfoord cria uma religião, a Igreja do Deus Absolutamente Indiferente, Malachi Constant representa exatamente o oposto das crenças que ele pretende que as pessoas sigam, e o coitado sofre.
Mas as ações de Rumfoord são eclipsadas pelas ações dos habitantes do planeta Tralfamadore – que surgiria também no livro Matadouro Número Cinco (Slaughterhouse Five, 1969) e em outras obras do autor. Eles têm uma influência absoluta na história da Terra e de seus habitantes, girando em torno da necessidade do alien-robô Salo, que se encontra perdido na lua Titã, de Saturno, e que viaja pelo universo para entregar uma mensagem importantíssima. A história ainda tem a mais ridícula invasão da Terra na história da ficção científica.
Kurt Vonnegut arruína qualquer pretensão humana à grandiosidade, tratando a ignorância e a arrogância dos terrestres com um humor ferino, com um desprezo pelas realizações humanas que surge em quase tudo o que o autor escreveu. Vonnegut mostra os seres humanos totalmente à mercê de forças que eles não conseguem controlar, totalmente sem livre-arbítrio, sendo conduzidos aleatoriamente em suas vidas de um evento a outro, sem terem a menor ideia de como modificar as situações.
Uma beleza de livro.