Artigos

COLOCANDO A LEITURA EM DIA: OS ANJOS DO TEMPO

Livros/Matérias

autorGilberto Schoereder
publicado porGilberto Schoereder
data18/3/2019
fonte
Excelente livro de Kevin J. Anderson e Neil Peart, baseado nas letras do baterista do Rush.

Esse eu deixei passar e nem sei como. Os Anjos do Tempo foi publicado no Brasil em 2015, pela Editora Belas Artes, de Caxias do Sul (RS), e só descobri recentemente. Anderson é pouco conhecido e publicado por aqui, mas tem uma longa história na ficção científica, tendo escrito vários livros da série Duna, histórias de Star Wars, Arquivo X, Batman, Superman, e muuuito mais. Neil Peart... bom, é apenas o baterista do Rush, um dos melhores da história do rock, atualmente aposentado.
Peart e Anderson são amigos de longa data, e resolveram transformar as letras do disco Clockwork Angels (2012) em um romance de ficção científica, na linha steampunk, com história situada numa Terra paralela movida a energia a vapor e alquimia. Talvez também possa ser incluído na categoria conhecida como bildungsroman, o “romance de formação”, um tipo de história que mostra o desenvolvimento do personagem ao longo de sua vida, seja o crescimento moral, intelectual, psicológico ou outro.
O ambiente é um mundo que se encontra entre o controle absoluto – representado pela Estabilidade, promovida pelo Relojoeiro – e o caos total em nome da liberdade de opções individuais, representado pelo Anarquista.

O centro da narrativa é o jovem Owen Hardy, vivendo uma existência absolutamente comum em sua aldeia, Barrel Arbor, em Albion, o país controlado pelo Relojoeiro. E quando digo controlado significa que tudo segue uma ordem específica, com horários rígidos para todas as ações dos cidadãos, para cada momento de suas vidas. O Relojoeiro tem uma obsessão incontrolável pela ordem e, ainda que seja uma pessoa com boas intenções, acaba por criar um sistema opressivo.
Todos os cidadãos das vilas de Albion, e da capital, Crown City, seguem à risca os mandamentos e sentem-se satisfeitos com uma vida pacata e sem novidades. Bom... Owen nem tanto, sonhando com lugares distantes e misteriosos como Poseidon, Atlantis e Cíbola.
A regularidade, a vida cronometrada de Albion, é ameaçada pelas ações do Anarquista, com atentados terroristas que atrapalham o comércio realizado pelos vaporeiros que seguem pelos ares e pelos trilhos alquímicos; ou pelos ataques dos Naufragadores, que chamam a si mesmas As Pessoas Livres do Mar, amigos do Anarquista que se opõem à vida proposta pelo Relojoeiro.
Owen embarca em sua aventura pelo mundo meio por acaso, ou pelo menos é o que ele pensa a princípio, conhecendo os locais maravilhosos sobre os quais lia e ouvia falar, e percebendo que eles não são exatamente o que imaginava, como também não são o Relojoeiro e o Anarquista, empenhados em impor suas visões pessoais de como o mundo deve ser.
Os personagens são muito bons, as aventuras e a narrativa de Anderson são excelentes, e o livro ainda traz as ilustrações de capa e internas do artista gráfico Hugh Syme, também responsável por algumas das capas dos discos do Rush (e também de dezenas de bandas e músicos, de Celine Dion a Dream Theater). Syme ainda participou como músico em três discos do Rush.


Os Anjos do Tempo (Clockwork Angels, 2012)
Kevin J. Anderson e Neil Peart
Editora Belas Artes (2015)
304 páginas